O empreendedor corporativo

Sandra Nagano

PEQUENAS IDEIAS, GRANDES MUDANÇAS

Não há como negar que as empresas estão cada vez mais exigentes na hora de contratar ou promover um colaborador. Além de um ótimo currículo, as organizações querem que seus funcionários tenham mais senso crítico e sejam cada vez mais empreendedores corporativos. Ou melhor, que pensem como um ente executivo da empresa, especialmente quando o assunto é inovação.

Busca por soluções

Embora o termo empreendedor corporativo não seja tão novo assim para a literatura especializada, as empresas brasileiras estão começando agora a dar mais atenção a esse tipo de perfil. Neste caso, o que está em jogo não é apenas a criatividade do colaborador, mas também a sua iniciativa e a capacidade de gerenciar a própria autonomia dentro da empresa. A ideia é de que esse funcionário possa colaborar de maneira mais efetiva na procura por soluções a problemas atuais e até futuros.

CONTRADIÇÕES CORPORATIVAS

1 Na teoria, as empresas brasileiras gostam da ideia de ter funcionários dentro de seus quadros com esse perfil. Mas, na prática, torcem o nariz para eles. Isso porque o fato de eleger um empreendedor corporativo pode inflar o ego de uns (no caso, o colaborador envolvido) e mexer com os brios de outros (como os próprios gestores). São sutilezas que precisam ser administradas, pois o fato de ter um ou mais empreendedores corporativos dentro da empresa não significa o fim da hierarquia interna da companhia, mas até o fortalecimento, caso os gestores façam as suas partes. Afinal, saber administrar situações como esta é uma qualidade de uma grande de liderança.

HORA DO CAFEZINHO…

2 Muitas pessoas falam de modo tão assertivo, que muitas vezes são chamados de autoritários (podem até ser). Se você é dessa forma no trabalho, na hora do cafezinho, relaxe um pouco. Afinal, trata-se de um momento mais descontraído e informal com outros colaboradores. Por isso, tome cuidado com as palavras ríspidas, elas podem acabar com o dia de muita gente. E não adianta dizer “sou assim” e ponto final. Atropelar os outros com o peso de palavras duras pode o tornar na pessoa mais malquista do escritório. Pense nisso.

CADA UM NO SEU QUADRADO

3 se você acredita ser um empreendedor corporativo, algumas dicas: fique atento para a cultura da empresa na qual você trabalha. Nem todas as companhias estão abertas para este tipo de perfil de funcionário. Numa empresa mais conservadora, você seria, no mínimo, apontado como petulante; mesmo numa organização mais antenada, que assimila as tendências da área de recursos humanos e gestão de carreiras, é preciso acionar alguns freios. Saber gerenciar a própria autonomia dentro da empresa como empreendedor corporativo é primeiro passo. Saiba que você não se tornou o chefe, mas um colaborador com potencial para ser um líder (cedo ou tarde).

MINUTO SABÁTICO

4 Se amanhã não chover, que tal uma caminhada? Um pouco de exercício físico o fará bem após uma semana inteira em frente ao computador ou a um balcão, por exemplo. Caso São Pedro resolva esconder o sol, aproveite para alugar um filme. Essa semana indico um delicioso longa que fará você querer prolongar seus minutos sabáticos: Comer, Rezar e Amar.

 

FIQUE POR DENTRO DO CORPORATIVÊS

5 No e-mail corporativo você recebe uma mensagem do seu chefe que mais parece uma sopa de letras. Numa das frases, ele diz: “Quero relatório com todos os anexos ASAP!”. A sigla, em inglês, quer dizer As soon as possible (o quanto antes).

Sandra Nagano

Jornalista da área econômica

Fonte: O Povo Online

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: