Não quero chegar ao topo do organograma

Sandra Nagano

Esta coluna é publicada as Quintas feiras

SUCESSO X REALIZAÇÃO

Acredite, há muitos profissionais no mercado que não sonham em assumir cargos de chefia. As razões transitam entre a falta de autoconfiança para gerir equipes e o fato do colaborador já se sentir realizado profissionalmente em sua função atual. Este último, talvez, o mais interessante ponto. Por exemplo, para alguns parece loucura que alguém negue uma promoção para o alto-escalão de uma empresa porque se sente realizado pessoal e profissionalmente em um cargo técnico operacional. Isso porque no senso comum no mundo corporativo o sucesso na carreira está associado, entre outras coisas, à conquista de cargos mais altos e salários rechonchudos.

Afinal, nossa literatura de gestão de carreiras quase sempre nos incentiva a ter sentimentos mais ambiciosos em relação a nossa atuação dentro da empresa, como um alpinista. Ou melhor, nos aponta caminhos para um objetivo: o topo do organograma. Mas o que nossa literatura especializada também nos diz é que antes de se ter o sucesso profissional, o colaborador precisa se sentir realizado ao fazer aquilo que realmente gosta – independente de sua posição dentro da empresa.

Geração apressada e apaixonada

O interessante é que isso vem ocorrendo comumente entre muitos profissionais da geração Y. Sim, aquela geração (com mais ou menos entre 20 e 30 anos) que, ansiosa, quer chegar rapidamente ao ponto e que vem conquistando cada vez mais cedo cargos de chefia dentro das empresas. Eu mesma conheço alguns tantos Ys que preferiram continuar fazer o que gostavam, em cargos medianos, do que assumir – talvez, precocemente – um cargo de gestor.

Não há dúvida que os Ys estão “na moda”. E várias empresas hoje estimam muito algumas características (generalizações) marcantes desta geração: competitiva; dinâmica; pró-ativa; ambiciosa em relação às suas pretensões profissionais. Mas para muitos Ys há algo muito importante a se considerar: o índice de satisfação no trabalho. Se estiver negativo, não demorará tanto para eles saltarem para outra empresa. Se positivo, estarão mais motivados e produtivos – seja em qualquer cargo.

REFLEXÃO

1 ”Sanidade não é uma questão de estatística”. Há muitos anos atrás, pincei esta frase em um clássico do escritor George Orwell. E ela faz muito sentido neste contexto. Afinal, o fato de um colaborador não querer ser chefe pelo simples fato de estar feliz no cargo atual não é loucura nenhuma. Mesmo que haja um grande abismo entre os dois salários – e todos os colegas digam que ele é louco em não aceitar a promoção. Cada um sabe o que lhe faz feliz e realizado profissionalmente. Lembre-se que as empresas preferem hoje ter colaboradores felizes e produtivos do que gestores desmotivados que agem sem paixão alguma.

HORA DO CAFEZINHO…

2 Se você conhece alguém na empresa que preferiu o terceiro escalão ao cargo de chefia, não tente diminuí-lo e convencê-lo que fez uma escolha estúpida. Muitas vezes, esta é uma decisão difícil que envolve questões pessoais e financeiras. Por isso, na hora do cafezinho, tenha toda a delicadeza para falar sobre o assunto.

FIQUE POR DENTRO

3 Seu chefe passa apressado no corredor da empresa, lhe dá um tapa nas costas e diz: “Use todo o seu background para preparar o benchmarking”. Não entre em pânico, pois o que ele quis dizer é para você usar toda sua experiência e seu conhecimento para fazer um levantamento das melhores práticas corporativas a partir da comparação do desempenho e procedimentos de outras empresas.

Sandra Nagano

Jornalista da área econômica

Fonte: O Povo On line

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: