Quando seu liderado reclama de você para o RH

   Por Kelly C. Gallinari

  Esta Coluna é publicada as Segundas Feiras

Você chega ao trabalho, organiza suas tarefas e, de repente, o telefone toca. É a Gerente de RH chamando-o para uma reunião extraordinária. Assunto? Um dos seus liderados foi reclamar da sua liderança.

É comum os departamentos de Recursos Humanos, hoje chamados de estratégicos, deixarem as portas abertas para que colaboradores expressem idéias, sugestões e até reclamações. Uma prática simples e que conota a participação mais ativa dos colaboradores no andamento do negócio da empresa.

Antes de falarmos sobre a intervenção do RH nestas situações, vamos pensar no porquê este funcionário teve que ir resolver o problema fora de casa.

Em meus trabalhos de desenvolvimento de líderes, no coaching ou workshops, a principal falha atribuída aos chefes por seus liderados não são as atividades desenvolvidas pela liderança mas COMO estas atividades de são desenvolvidas. Tenho percebido que os líderes sabem o que tem que fazer, mas se perdem em como.

Muito se fala nos deveres dos líderes mas pouquíssimas vezes vi estes deveres descritos em sua completude.

ESCOLHER o seu time, PREPARAR, CONDUZIR, INCENTIVAR, AVALIAR e RECOMPENSAR”. Esta, geralmente, é a receita do sucesso apresentada em treinamentos e workshops de liderança. E por que transformar este conhecimento em ação fica complicado? Por que os líderes tem tanta dificuldade em conquistar suas equipes e engajá-las no negócio da empresa? Por que os liderados preferem ir fazer reclamações ao RH e não ao líder que está tão próximo dele?

Eu conto: a receita acima está correta, mas está faltando um ingrediente. Falta o tempero. O nome deste tempero é ALIANÇA.

Estabelecer alianças com os liderados é premissa para que o líder estabeleça laços sustentáveis e renováveis. Sustentáveis porque terá uma equipe que estará em pé mesmo quando faltar recursos para execução, isto é, em crises. Renováveis porque terá liderados capazes de se reerguerem depois das tempestades. Este tempero, simples, construirá um time engajado, nas alegrias e nas tristezas.

Agora vem a parte importante: como construir alianças.

Para estabelecer aliança com seus colaboradores, você precisa, em primeiro lugar, conhecê-los. Este é o primeiro passo para que você, líder, passe a entender suas atitudes; os erros e acertos. E entender não é admitir, é só entender mesmo. Se o liderado perceber em você solidariedade e não repúdio no momento de um erro, mais facilmente aceitará sua ajuda.

A empatia espontânea estabelece laços fortes. Laços que serão considerados mesmo em momentos de um feedback negativo, por exemplo. Laços que minimizarão as emoções pesadas no momento em que tiver de pedir que refaça um trabalho, que chame a atenção por um comportamento inadequado ou que peça ajuda nas crises. Laços que transformarão as  comemorações por resultados positivos em momentos memoráveis.

A ALIANÇA facilita a confiança. É a confiança que fará seu liderado falar com você quando ele não gostar de algo que você faça.

É pela falta deste tempero que liderados têm procurado outras fontes de aprendizado dentro da empresa. É pela falta de aliança que seu liderado foi ao RH reclamar de você.

Tempere sua liderança. O gosto será bem melhor.

Abraços e até mais!

Kelly Cavalcanti Gallinari
Coach / Consultora Desenvolvimento Humano e Organizacional

http://www.ecoach.com.br/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: