Zé Iscritório em: Meu pai e a escolha profissional

Por Pedro Paulo Galindo Morales

Sei que tenho esse nome influenciado pelo meu pai que decidiu homenagear não tanto o seu local de trabalho, mas sim a sua profissão a de Chefe de Seção. Como ele dizia, queria que seu filho estudasse que eu fosse mais longe que ele, talvez um Diretor.

Embora tivesse esse nome meu pai nunca exigiu que eu me formasse em Administração de Empresas, me deixava muito à vontade para escolher a minha profissão.

Tive vontade de ser médico, policial, maquinista de trem e jogador de futebol. Ele apenas me dizia que não importasse a profissão que escolhesse teria que primeiramente gostar dela e segundo me tornar uma referencia para a profissão, não alguém famoso ou rico, mas uma pessoa que fosse sempre lembrada pelo seu comprometimento, busca da verdade e bom senso, como ele dizia naquela época “Não quero que você seja um profissional infeliz apenas para me tornar feliz, não importa a sua escolha seja bom naquilo que você escolheu”.

Muitas pessoas gastam tempo e dinheiro tentando ser um profissional menos ruim na sua área de atuação apenas porque a profissão é bem remunerada ou a família quer que ele seja médico, advogado ou general.

Cresci e tive que me decidir que caminho profissional queria seguir. Jogador não podia ser porque sou ruim de bola nunca consegui ser titular de um time no colégio, médico e policial era difícil porque não gosto muito de sangue, embora os dois tenham um trabalho de ajuda para com as outras pessoas.

Vendo meu pai trabalhar com dedicação e felicidade sustentando a família com muita dignidade apesar das dificuldades, decidi seguir sua profissão e me tornei um Administrador de Empresas. Procuro sempre lembrar os ensinamentos e conselho do meu pai “Você tem que em primeiro lugar ser feliz na sua profissão e procurar trombar na área, ser aquela pessoa que no ultimo momento pode decidir o jogo mesmo quando as possibilidades forem poucas”.

O que meu filho vai ser quando crescer não sei, apenas sei que tenho que dar o exemplo de como ser um bom profissional. Bruno bem que podia ser jogador de futebol ela joga tão bem! Será?

Meu nome é Zé Iscritório e gosto de escrever sobre o que acontece no mundo dos escritórios.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: