A marcha dos séculos e o tic-tac dos relógios

Por Israel Araujo

Esta coluna é publicada as Sextas Feiras

Voltemos mil anos ou voltemos quinhentos anos no tempo, a economia, a política e a convivência social eram praticamente iguais. Cinco séculos passavam-se e nada mudava. Na política, prevaleciam as tiranias. O poder era tomado pela força e transmitido pela herança. Na economia, sem nenhuma inovação, sem nenhuma tecnologia, só as invasões e as guerras traziam prosperidade. No comportamento, a ignorância imperava e grassavam os preconceitos, as superstições e os medos. A vida era breve e a qualidade dessa vida era rigorosamente baixa. Quando ocorreram, na segunda metade do século XVIII, a revolução francesa e o processo que veio a chamar-se revolução industrial, o curso da história se modifica. A política toma assento no trem da história e o Estado começa a formar-se, o processo civilizatório acelera-se, o homem torna-se mais humano, a partir das ideias de que somos todos iguais, livres e irmãos. Na economia, a busca da prosperidade individual cria uma inércia social nova, é o capitalismo, que nasce sem pai, sem mãe, mas com os pés firmes na evidência do sucesso do vizinho e do outro. Democracia e Capitalismo crescem no campo fértil do conhecimento agora à disposição de todos.

O conhecimento, a democracia, o capitalismo e a tecnologia mudaram o ritmo do tempo. O tempo agora é mais veloz. Se no passado distante, as mudanças ocorriam de século em século, no início do século vinte passaram a mudar em décadas. E agora mudam em um ano. Os produtos envelhecem mais rápido, a tecnologia não para de avançar, os processos administrativos se aperfeiçoam, os financiamentos estão mais acessíveis, os mercados se influenciam reciprocamente. Afinal, o que é um fato econômico? É a soma de uma informação com uma decisão, e os dois estão muito mais disponíveis hoje do que ontem. E amanhã mais do que hoje. Seja bem vindo ao hoje, pois é nele que você construirá o amanhã, ou simplesmente repetirá um ontem igual. Neste último caso, pouco mudará para você, mas as coisas continuarão acontecendo ao seu redor e verá que o que ficou não volta mais. Uma decisão sem informação, ou com informação errada, o levará a caminhos indesejados, quase sem volta. Uma informação, sem utilização, não lhe levará a lugar algum. E mesmo que tenha a informação e uma atitude firme, caminhará. Mas, ao seu lado também o mundo continua girando e os relógios contando as horas que se transformam em história num ritmo tic-tac muito mais rápido hoje do que ontem.

Parem tudo! Em que mundo vivemos? Alguém sabe? Que legado deixaremos aos futuros habitantes, que a cada ano são chamados por uma letrinha, geração X, Y, Z. O que é isso? Nem há tempo de denominar uma época? Temos que utilizar letrinhas? Se você não entendeu o sentido deste texto, dê uma paradinha e releia. Das duas uma: ou você está passando pela vida muito apressado ou a vida está passando por você muito devagar.

Israel Araújo
Diretor Executivo da unidade de Fortaleza da Véli Soluções em RH israelaraujo@israelaraujo.com.br – twitter: @israelaraujorh

Fonte: Diário do Nordeste

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: