As grandes lojas que não existem mais no comércio de Fortaleza- Última Parte

Neste quarteirão da Rua Barão do Rio Branco ficava a matriz da Charmille Fonte:Blog Fortaleza Nobre

Por Pedro Paulo Galindo Morales

A Charmille Modas LTDA inaugurada no final dos anos 70, vendia roupas e acessórios, sua rede contava com 16 lojas, 5 amplas lojas em Fortaleza estavam localizadas na Rua Barão do Rio Branco no “Quarteirão do Sucesso”  (hoje é a Laser Magazine) , Solon Pinheiro (hoje é um loja do Ponto de Modas) , Guilherme Rocha (Freitas Varejo), Senador Pompeu (em frente a C&A) e Major Facundo (ao lado da Oboé) além de lojas em Maceió, São Luiz e interior de São Paulo, fechou também no final da década de 90.

A Ocapana também foi uma loja que fez sucesso em Fortaleza, suas lojas eram modernas e estavam localizados em vários endereços como Rua Barão do Rio Branco, onde para a inauguração da loja foi simulado um acidente de um fusca que entrou na vitrine, essa ideia foi de Tarcísio Tavares e rendeu uma ótima publicidade , pois todos queriam ver a o acidente e assim todos conheciam as lojas fato revelado para o publica somente alguns anos depois. A rede possuía mais de 10 lojas localizadas no centro da cidade e nos shoppings Iguatemi, North Shopping, Center um e Benfica e também possuía a etiqueta Geração Urbana.

As Lojas Brasileiras presente no mercado local desde a década de 70 estavam localizadas onde hoje é a Lojas Riachuelo na Rua Barão do Rio Branco com galeria para a Praça do Ferreira uma loja de departamentos que vendia aos moldes das Lojas Americanas que fechou em uma tradicional rede de lojas de departamentos e variedades. 1999 após uma série de prejuízos que vinham ocorrendo desde 1996. Possuía 63 lojas espalhadas por vinte estados do Brasil, no local funcionou também a Ponte Magazine de rápida passagem pelo mercado de Fortaleza

Existiam também os Armazéns do Sul famosos por vender roupas confecções, tecidos e artigo de decorações suas lojas estavam localizadas onde funciona Shopping Central das Fábricas em uma loja galeria da Rua Senador Pompeu com General Sampaio na Liberato Barroso com a Rua Barão do Rio Branco (onde funciona hoje o Ponto da Moda) e na Av. Santos Dumont com Barão de Studard que sofreu um incêndio na década de 90.

Também existiram as Lojas Vesil que atuava na linha popular que vendiam roupas, perfumaria, móveis e utilidades domesticas, suas lojas eram localizadas na esquina da Rua Solom Pinheiro com Rua Pedro Pereira uma loja de esquina muito grande (hoje funciona Insinuante), Rua Barão do Rio Branco e Rua Liberato Barroso suas instalações antigas chamavam a atenção de todos os que transitavam por suas lojas.

O Shopping Center Iguatemi foi inaugurado em 1982, um empreendimento também de Tasso Jereissati foi um dos primeiros shoppings do estado do Ceará. O bairro escolhido foi o Edson Queiroz como uma forma de expandir o comércio para aquela área da cidade. Estavam presentes no shopping lojas como Casas Pernambucanas (esta com o nome magazine por vender eletrodomésticos e moveis hoje funciona as Lojas Americanas), Aba Film, e a Samasa (onde hoje funciona o Extra) e a Mesbla onde hoje funcionam as Lojas Riachuelo.

Logotipo da Paraiso

As Lojas Paraíso foi uma rede de lojas de móveis e eletrodomésticos de muito sucesso em Fortaleza/CE a rede surgiu na primeira metade da década de 80 e sua primeira loja instalou se na Rua Sólon Pinheiro com Duque de Caxias no centro da cidade de Fortaleza. Inicialmente eram vendidos apenas colchões e logo depois foram introduzidos os moveis e eletrodomésticos, a loja era pequena, mas muito bem localizada e arrumada. A Paraíso chegou a possuir uma rede de 55 pontos de venda no Nordeste, localizados nos estados do Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, empregando em torno de mil funcionários além de um amplo centro administrativo e depósito em Parangaba e uma frota de cerca de 40 caminhões para entrega, chegou a comprar o antigo Cine Diogo em Fortaleza onde funciona hoje um Shopping Center do mesmo nome e um prédio com oito andares com varias salas comerciais alugadas, as Lojas Paraíso, desapareceram em 1999 e seu slogam era “Onde a tentação é o preço”.

Também estava presente no comércio de Fortaleza as Casas Pernambucanas (   Lundgren Irmãos Tecidos Ind. Com S.A.) com lojas no centro da cidade ( Rua Floriano Peixoto e Barão do Rio Branco) e um amplo magazine no Shopping Iguatemi.  O escritório central da operação cearense (capital e interior e alguns estados do Norte e Nordeste) das Casas Pernambucanas estava localizado na Av. Pessoa Anta onde hoje funciona a Secretaria de Saúde. A empresa fechou em 1997 devido a uma disputa de familiar.

Na Avenida Bezerra de Menezes estava localizado o Hiper Gomes de Freitas que atuava no ramo de supermercados, no local em 1991 foi construído o North Shopping Fortaleza que levou o comercio para a região leste da cidade nele estavam lojas com ABA Film, Lojas Paraiso, Sapataria Belém. O Hiper Gomes de Freitas também possuía lojas na Rua Pinto Madeira em frente ao Parque das crianças (hoje uma loja da Super Rede, mas funcionaram ali o Supermercado Chalana e o Planeta Supermercados)e uma loja na Av. Coronel Carvalho onde funciona hoje uma Igreja Universal, esse supermercado fechou no final da década de 80.

A Camelo Magazine também marcou época com sua lojas tipo departamento onde se comprava de roupas, cama, mesa e banho, eletrodomésticos, móveis e decoração. Suas lojas eram amplas e estavam localizadas no centro de Fortaleza na Rua Barão do Rio Branco onde hoje funciona o Shopping Camelo e também na Rua Senador Pompeu , nas esquinas da Av Santos Dumont esquina com Shopping Del Paseo ( esta fechada a anos) e na Av. Bezerra de Menezes  (hoje Lojas Otoch).

Loja do antigo Superfamília

O ultimo grande nome a desaparecer do mercado foi o Superfamília (antigo Super Global) em Março de 2011 comprado pelo grupo Chileno Cencosud, suas 4 lojas estavam localizadas na Rua Padre Valdevino, Borges de Melo (onde funcionou a Cia. Souza Cruz de Cigarros , na Washington Soares e Av. Maestro Lisboa o Superfamília tinham a fama de vender barato.

Esta séria de artigos foi um pouco da história das grandes lojas que existiram na Cidade de Fortaleza. Sem duvida nenhuma podemos notar que os pontos comercias de uma cidade continuam existindo através dos tempos, o que faz a diferença é um modelo de gestão capaz de fazer uma correta leitura do ambiente externo que permitam conduzir as empresas através dos tempos.

Bibliografia

Blog Fortaleza Nobre http://fortalezanobre.blogspot.com

Fortaleza Antiga http://fortalezaantiga.blogspot.com/

Fortaleza Fatos e Fotos http://fortalezaemfotos.blogspot.com

Pesquisa em Sites da Internet.

I Parte

II Parte

Anúncios

3 Responses to As grandes lojas que não existem mais no comércio de Fortaleza- Última Parte

  1. […] As grandes lojas que não existem mais no comércio de Fortaleza- Última Parte […]

  2. […] As grandes lojas que não existem mais no comércio de Fortaleza- Última Parte Compartilhe:TwitterFacebookPrintLike this:LikeBe the first to like this post. […]

  3. Amaury Feitosa disse:

    E o Mercantil São José que mudou até as expressões da língua que em vez de dizer vou fazer a feira se passou a falar vou fazer o mercantil, termo ainda hoje na moda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: