Identificação de problemas e geração de conflitos

Por ivan Postigo

Esta coluna é publicada as Quartas Feiras.

Muitas empresas no momento em que a economia mostra sinais positivos começam a se defrontar com os problemas de gargalos na produção. Os gargalos podem acontecer em um determinado ponto da linha de produção, como podem surgir em vários locais do processo produtivo, em momentos diversos durante o mês.

Uma encomenda significativa de um produto específico feita pelos clientes, o lançamento de novos produtos, mudanças de processo de produção, a subestimação do tempo de produção de itens relativamente novos podem fazer com que uma dificuldade, até então não observada, apareça.

Muitas vezes um gargalo é observado, mas as razões do estrangulamento da linha de produção não são facilmente percebido,  levando a cobranças e debates acalorados.

Nossas empresas normalmente têm vocação para programação, mas não para planejamento da fábrica. Os gargalos em geral são observados quando os pedidos estão dentro de casa e não em função do planejamento de vendas, com isso os responsáveis pelas áreas fabris acabam não tendo condições de se antecipar aos problemas e encaminhar soluções preventivas.

O fato de observarmos e identificarmos um problema não quer necessariamente dizer que uma solução será providenciada.

Gargalos de produção costumam aparecer deixando também pistas falsas dos problemas, como movimentações tardias, falta de  melhor programação, quebras de máquinas, falhas nas identificações de operações , envolvendo sempre mais de uma área e gerando conflitos ao invés de debates.

Um problema se observado, identificado, reconhecido, encaminhado para solução, com tarefas delegadas e pessoas investidas de autoridade normalmente é solucionado, contudo há um aspecto inerente ao comportamento humano que dificulta o encaminhamento da solução: a negação.

Todos nós somos avaliados constantemente e somos refratários a críticas, com isso, o debate muitas vezes acaba gerando conflitos e perpetuando o problema.

O conflito pode se acirrar levando a empresa a perder bons talentos, o conflito pode se perpetuar gerando perdas contínuas em outros processos ou pode haver a desistência de solução por parte dos envolvidos.

Quaisquer que sejam os caminhos, observados esses fatores, quem perde é a organização.

Para o  correto encaminhamento de um problema para solução é necessário que este, ao ser observado e identificado, seja reconhecido. A negação imediatamente determina o fracasso da solução.

A negação não precisa ser explícita e muitas vezes não o é, a contra-argumentação defensiva é muitas vezes mais danosa do que um conflito administrável.

Investir na inteligência da organização torna-a ativa e não apenas reativa, essa é a tônica das empresas do futuro.

Ivan Postigo é Diretor de Gestão Empresarial da Postigo Consultoria Comunicação e Gestão, Articulista, Escritor e Palestrante

www.postigoconsultoria.com.br
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: