A aparência é capaz de influenciar a carreira?

Por Flávio Emílio

Esta coluna é publicada as Sextas Feiras e aos Domingos

Os mundos acadêmico e corporativo conhecem bem o conceito de competência – o somatório de conhecimentos, habilidades e atitudes de um profissional, capaz de proporcionar performance superior no exercício de suas funções. Competência é conteúdo, essência, estofo.

Mas será que só a competência decide?

Após mais de 10 anos trabalhando como consultor de RH, penso que não…

Quer concordemos ou não, vivemos num mundo que valoriza o design, as embalagens, a estética.

Não entro no mérito do belo ou feio. Esses são conceitos puramente subjetivos e valorativos… Creio que o foco está na contextualização da pessoa aos códigos estéticos presentes em qualquer ajuntamento de seres humanos.

O que está em jogo é a adequação da imagem do profissional ao tipo de trabalho que ele se propõe a desenvolver e à cultura da sua organização. Assim, o visual de um gerente de banco engravatado, com gel no cabelo e óculos de grife não seria considerado adequado para trabalhar num estúdio de tatuagem e vice versa.

Naturalmente, todos nós somos livres para disputar vagas nos mais variados processos de seleção. Porém, não convém fantasiar: quem conseguir melhor alinhar o binômio competência x adequação estética vai ter maiores chances de ser contratado.

Flávio Emílio Monteiro Cavalcanti é administrador e Mestre em Gestão de Recursos Humanos .

http://dropsdecarreira.com.br/blog/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: