Como livrar-se de maus hábitos

Por Kelly Gallinari

Se está em busca de mudanças, alterar hábitos e comportamentos é essencial. E nesta busca, muitas vezes, inclui livrar-se de maus hábitos.

Como Coach Profissional, acompanho e oriento a missão implacável de profissionais que lutam pelo aperfeiçoamento profissional e humano. Nesta caminhada, sempre há um obstáculo grande e nebuloso para muitos: deixar velhos costumes para trás e substituí-los por hábitos que colidam com os novos objetivos e anseios.

Parar de fumar, começar o regime às segundas-feiras, ser mais tolerante, ter mais paciência, ser mais organizado, aprender dizer não, ser mais confiante, iniciar e terminar uma tarefa. Para tudo que me proponho, minha gente, é necessário assumir hábitos que apoiem a meta e não o contrário.

Se quer começar um regime, evite comprar guloseimas. Na presença delas, talvez seja mais difícil evitá-las. E quando for a uma festa regada de brigadeiros? Bom, aí pense se comer todos aqueles docinhos te aproximará ou te afastará da sua meta. Não quer se sabotar, quer? Preguiça de ir à academia? Pense que sem ela demorará o dobro ou o tempo para perder os quilinhos que deseja.

Veja como driblar situações que podem fazer com que tenha dificuldades em adotar novos costumes:

1 – Prazer x Satisfação – Primeiramente, vamos diferenciar estes termos para que possa fazer suas escolhas. Ambos são consequências da conquista de algo, no entanto, agem diferentemente em nossas vidas. Vou especificar: Prazer é algo intenso mas momentâneo e de curta duração; tem consequências, especificamente,  físicas (suor, alteração do batimento cardíaco, circulação e pressão do organismo). Estas conquistas estão relacionadas a objetivos situacionais, ou seja, que independem de projetos de longos prazos. Satisfação é a sensação positiva e tranquila da conquista, é duradouro e permanente; pode ter
consequências físicas mas sua principal alteração no organismo é intelectual; torna-te uma pessoa melhor. Geralmente, estas conquistas estão diretamente ligadas aos seus valores pessoais. Estas conquistas reforçam sua essência e isto reafirma sua identidade.

Importantíssimo sabermos diferenciar estas questões. Digo isto porque muita gente fica presa aos velhos hábitos simplesmente pelo prazer que eles dão. E como muitos confundem prazer com satisfação, sentem-se felizes no momento de exercer o antigo costume, e, no momento seguinte, sente-se culpado por tê-lo feito. E aí, entram em um círculo vicioso de prazeres momentâneos, não conseguindo avançar para a plena satisfação.

Todos devem conhecer alguém que tentou parar de fumar e a dificuldade que isto lhe trouxe. Acontece porque colocar o cigarro na boca traz-lhe prazer. É apenas um momento, mas é gostoso. O corpo reage. Mas também acredito que a maioria deve saber de um outro alguém que conseguiu parar de fumar e a satisfação que isto lhe trouxe. Um momento memorável.

Conseguem visualizar a diferença?

Por isso, amigo leitor, sempre que tiver dificuldade de exercer o novo, pense qual dos hábitos (o velho ou o novo) lhe traz satisfação e faça sua escolha.  Quer viver de prazeres com prazo de validade ou na satisfação de tornar-se alguém melhor?

2 – Obstáculos – Nem sempre o mundo conspira a nosso favor. Por isso, é necessário prevenir-se das armadilhas que podem lhe tirar do caminho de conquistar o novo. Se pensa em mudar algum hábito, estruture a mudança. Uma boa tática, é colocar no papel. Isto força você a pensar e concentrar-se no assunto, o que lhe garantirá desenhar um plano de ação eficiente. Desenhado o plano de ação, pense em TODOS os obstáculos que podem lhe distrair de sua meta.  Quando digo todos, são todos mesmo.

Vamos pensar em alguém que, no passado, passou por um acidente de trânsito e pegou trauma de dirigir. Esta pessoa está empenhada em voltar ao volante e precisa driblar o hábito do medo. Ao desenhar o plano de ação, é necessário pensar nos obstáculo que poderão fazer com que ela não cumpra as etapas do plano, como por exemplo, o fato de sempre tremer as pernas quando senta no banco de motorista. Precisa controlar as emoções. No entanto, esta pessoa sabe que em momentos que passou por  extremo estresse em sua vida, cantar aliviava a tensão. Pronto, este será o plano de ação B para este possível obstáculo.

Voltemos ao exemplo do regime. Se sabe que um de seus obstáculos é a padaria que tem na esquina de sua casa, evite este caminho. Pelo menos até que o hábito de comer menos já faça parte de sua rotina.

Da mesma forma, crie um plano de ação para cada possível obstáculo nesta sua mudança de hábito. Assim, minimizará os imprevistos e isto lhe trará mais segurança na mudança.

Pensar nos obstáculos é fundamental!

3 – Repetição – Um novo hábito só é concebido se for, insistidamente, repetido. Tente fazê-lo por 30 dias consecutivos e sem vacilo. Isto abrirá caminho para o novo. Tente. Sempre que pensar em vacilar, pense na escolha entre o prazer e a satisfação! Conquistar novos hábitos requer disciplina.

4 – Tempo – Respeite seus limites. Não imponha um prazo irreal para a conquista do novo hábito. Gerará frustração e a desmotivação na busca da conquista.

Mudar de hábito faz parte do desenvolvimento humano. Viver é, realmente, prazeroso. Melhor que isso, só conquistando memoráveis satisfações.

Abraços e até mais, meu povo!

Kelly Gallinari é coach (profissional que aplica o coaching) formada pela ICI (Integrated Coaching Institute).

www.ecoach.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: