Quando se perde o brilho nos olhos

Celso Derisso Filho

Deve ser muito triste para qualquer pessoa peder a motivação e começar a agir no “piloto automático”, seja no trabalho, na vida, no casamento, etc.

Creio ser importantíssimo termos motivação para acordar todos os dias e termos orgulho de dizer que fazemos algo de que gostamos, de chegar no domingo a noite e não se desanimar pelo fato da segunda-feira estar chegando e termos que começar mais uma semana. Uma vez alguém me disse que a melhor coisa de segunda-feira, é o fato de ser o dia mais longe da próxima segunda. Essa pessoa com certeza não gosta do que faz.

Todos os dias temos a oportunidade de nos reinventarmos, de sermos melhor do que no dia anterior, porém, muitos passam o dia reclamando e não fazendo nada para mudar a situação. Eu penso da seguinte maneira: se você não gosta do que faz, ou aprende a gostar ou então muda de área, mas ficar só reclamando não vai te levar a nada.

Geralmente perguntos nas aulas quem gosta do que faz e a média não passa de três, quatro pessoas em uma sala com trinta, quarenta alunos. Eu acho isso extremamente complicado, pois se nós estamos infelizes no que fazemos, como poderemos nos dedicar e oferecermos um serviço de qualidade? A pessoa está infeliz, não presta um bom serviço, o cliente recebe essa prestação do serviço, não gosta e sai reclamando, acaba descontando em alguma outra pessoa, que desconta em outra e assim vai indo. Vira uma bola de neve. Por isso, quando perdemos o briho nos olhos daquilo que fazemos, não prejudicamos apenas a nós, mas a outras pessoas também.

Eu sei que você pode estar pensando que precisa trabalhar, que nem sempre podemos fazer o que gostamos, que a vida não é desse jeito. Mas será mesmo? Será que não podemos ter controle sobre nossa própria vida e buscarmos mais felicidade e prazer? Será que não conseguimos “ganhar dinheiro” fazendo aquilo que gostamos? Por que não? É como diz quele ditado: “Sabendo que era impossível, foi lá e fez”.

Brilho nos olhos, chama acesa, vontade, motivação, ser feliz, ter prazer no que se faz, etc. Não importa o nome que se dê para essa sensação, o importante é que nós fomos feitos para ser felizes. A  decisão é sua. Pense nisso.

Grande abraço e sucesso!!

Fonte: http://celsofdf.wordpress.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: