E o Itaú ri por último – ISTOÉ Dinheiro

Na primeira semana de julho, o banqueiro Flávio Pentagna Guimarães estava muito perto de vender seu banco, o BMG. Embora houvesse outro pretendente conhecido, o BTG Pactual, a negociação estava bem avançada com o Bradesco. Mas o controlador do banco mineiro ainda tinha dúvidas sobre o preço final da transação. Também temia ter de esperar por muito tempo para receber o valor total. Como em outras aquisições de bancos médios fechadas pelas grandes instituições, a última parcela do pagamento seria vinculada ao desempenho futuro do BMG, já sob novo controle acionário. “Doutor Flávio”, como é mais conhecido, atualmente com mais de 80 anos, já havia rejeitado uma oferta do BTG Pactual porque considerou o preço baixo demais.

E o Itaú ri por último – ISTOÉ Dinheiro.

Anúncios